14 setembro 2020

Exaltação da Santa Cruz


A Exaltação da Santa Cruz, celebra-se no dia 14 de setembro. Foi na Cruz que Jesus Cristo ofereceu ao Pai o Seu Sacrifício, em expiação dos pecados de todos os homens. Por isso, é justo que veneremos o sinal e o instrumento da nossa libertação. Para este dia tão especial, existe uma devoção dedicada a Santa Cruz, na qual divulgo á seguir; divulgue desta lindíssima devoção.


Oração para o dia da Exaltação da Santa Cruz

Esta é uma Devoção especial, rezada somente no dia 14 de setembro, dia da Exaltação da Santa Cruz.
“Mil vezes o Nome de Jesus”
Antes de rezar separe 20 grãos de feijão.Serão rezados 20 terços, assim:
* Início: 1 Creio, 1 Pai-Nosso e 3 Ave-Maria.
* Nos Pai-Nosso: Se na hora da minha morte, o demônio me tentar, de nada vai adiantar, pois no dia da exaltação da Cruz, mil vezes eu clamei o Nome de Jesus.
* Nas Ave-Maria (dezena): Jesus ! (Cada terço rezado, separar um grão de feijão até completar 20 terços.)

Rezemos pela Santificação dos Sacerdotes e do Papa em Roma.

11 setembro 2020

Intercessão de N. Sra. na explosão em Beirute

 No dia 4 de agosto de 2020, ocorreu a Explosão em Beirute (Líbano), que matou diversas pessoas. No entanto, foi um momento em que a Graça de Deus também se manifestou: diversos católicos romanos, testemunham milagres ocorridos simultaneamente, no momento da explosão. O que nos leva a refletir, que os católicos unidos a Roma, estão sob a proteção de Deus e da Santíssima Virgem.

Em algumas "mensagens 'celestiais' privadas", está prometido que “só os católicos conservadores, serão protegidos dos castigos”; no vídeo vemos claramente, que católicos unidos a Roma são protegidos dos castigos.

Obrigado, ó Maria, por Sua proteção!

 

Relembrando a Explosão em Beirute:



01 agosto 2020

Os efeitos do sacramento da Ordem

  

VII. Os efeitos do sacramento da Ordem

O CARÁCTER INDELÉVEL

1581. Este sacramento configura o ordinando com Cristo por uma graça especial do Espírito Santo, a fim de servir de instrumento de Cristo em favor da sua Igreja. Pela ordenação, recebe-se a capacidade de agir como representante de Cristo, cabeça da Igreja. na sua tríplice função de sacerdote, profeta e rei.

1582. Tal como no caso do Baptismo e da Confirmação, esta participação na função de Cristo é dada uma vez por todas. O sacramento da Ordem confere, também ele, um carácter espiritual indelével, e não pode ser repetido nem conferido para um tempo limitado (78).

1583. Uma pessoa validamente ordenada pode, é certo, por graves motivos, ser dispensada das obrigações e funções decorrentes da ordenação, ou ser proibido de as exercer (79): mas já não pode voltar a ser leigo, no sentido estrito (80), porque o carácter impresso pela ordenação fica para sempre. A vocação e a missão recebidas no dia da ordenação marcam-no de modo permanente.

1584. Uma vez que é Cristo, afinal, quem age e opera a salvação através do ministro ordenado, a indignidade deste não impede Cristo de agir (81). Santo Agostinho di-lo numa linguagem vigorosa:

«Quanto ao ministro orgulhoso, deve ser contado juntamente com o diabo. E nem por isso se contamina o dom de Cristo: o que através de tal ministro se comunica, conserva a sua pureza: o que passa por ele mantém-se límpido e chega até à terra fértil. [...] De facto, a virtude espiritual do sacramento é semelhante à luz: os que devem ser iluminados recebem-na na sua pureza, e ela, embora atravesse seres manchados, não se suja» (82).


Notas:

78. Cf. Concílio de Trento, Sess. 23ª,  Canones de sacramento Ordinis, c. 4: DS 1767: II Concílio do Vaticano, Const. dogm. Lumen Gentium, 21: AAS 57 (1965) 25: Ibid., 28 AAS 57 (1965) 34: Ibid., 29: AAS 57 (1965) 36: Id., Decr. Presbyterorum ordinis, 2: AAS 58 (1966) 992.

79. CIC can 290-293. 1336. § 1, 3 e 5. 1338. § 2.

80. Cf. Concílio de Trento, Sess. 23ª,  Canones de sacramento Ordinis, can. 4: DS 1774.

81. Cf. Concílio de Trento, Sess. 7ª, Canones de sacramentis in genere, can. 12: DS 1612: Concílio de Constança, Errores Iohannis Wyclif, 4: DS 1154.

82. Santo Agostinho, In Iohannis evangelium tractatus, 5, 15: CCL 36, 50 (PL 35, 1422).



Fonte: CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA

http://www.vatican.va/archive/cathechism_po/index_new/p2s2cap3_1533-1666_po.html 

22 julho 2020

Novena a Santo Inácio de Loyola.


 †  Inicia-se no dia 22 de julho, e comemora-se sua festa litúrgica no dia 31 de julho. Para cada dia, temos orações e reflexões sobre a vida de Santo Inácio de Loyola, cujo exemplo, possamos também imitar e servir a Deus Nosso Senhor!
Intenção geral: Pela santificação do Papa e dos sacerdotes.


1º DIA (22 de julho) – A CONVERSÃO
Inácio de Loyola era um oficial vaidoso, mundano, que sonhava alto na carreira militar. Aos 26 anos, em Pamplona - Campo de Batalha - uma bala inimiga o atingiu, estraçalhou seu joelho. Convalescendo, enquanto lia algumas biografias de Santo, Inácio passou a interar-se: Se eles puderam fazer grandes coisas por Deus, por que eu não poderei também?
A graça divina realiza maravilhas, quando deixamos Deus atuar em nós.
† Oração
Senhor amparados em vossa força e proteção queremos assumir nosso compromisso com o Evangelho e os irmãos de caminhada, conscientes de que um mundo mais justo, fraterno e cristão depende um pouco de cada um de nós.
Sob as bênçãos de Nossa Senhora e pela intercessão de Santo Inácio de Loyola, concedei-nos a graça, que humildemente vos pedimos neste momento... (formule a graça). Por Cristo Senhor Nosso. Amém.

2º DIA (23 de julho) – DEVOÇÃO A NOSSA SENHORA
Inácio de Loyola cultivou a mais profunda devoção a Nossa Senhora, ao longo de toda sua existência. Aos pés da Rainha do céu, em Montserrat, na Espanha, depositou sua espada de cavaleiro, enquanto fazia uma noite de vigília, de oração. Numa rústica gruta em Manresa, junto ao rio Cardoner, compõe seu famoso livrinho dos Exercícios Espirituais, sob o olhar de Maria. E em Roma, Inácio venera, de modo especial, Nossa Senhora da Estrada.
Senhor, que a exemplo de Inácio, cresça nosso amor filial a Maria, mãe da Igreja, rainha dos apóstolos e missionários, "estrela da evangelização sempre renovada"
† Oração
Senhor amparados em vossa força e proteção queremos assumir nosso compromisso com o Evangelho e os irmãos de caminhada, conscientes de que um mundo mais justo, fraterno e cristão depende um pouco de cada um de nós.
Sob as bênçãos de Nossa Senhora e pela intercessão de Santo Inácio de Loyola, concedei-nos a graça, que humildemente vos pedimos neste momento... (formule a graça). Por Cristo Senhor Nosso. Amém.

3º DIA (24 de julho) – CONSTRUINDO O REINO
Na rica personalidade de Santo Inácio, o caminhar, o sentir-se peregrino foi sempre muito importante. Desde o momento em que se empolgou pela figura de Cristo, a prece de Inácio será constante nos "Exercícios Espirituais": "Para que mais o ame e siga".
Viver é peregrinar. Somos peregrinos no tempo a caminho da eternidade. Quem se volta para Cristo jamais vive de costas para seu irmão. O Reino se constrói na caminhada, se realiza na doação e se torna pleno em Deus.
† Oração
Senhor amparados em vossa força e proteção queremos assumir nosso compromisso com o Evangelho e os irmãos de caminhada, conscientes de que um mundo mais justo, fraterno e cristão depende um pouco de cada um de nós.
Sob as bênçãos de Nossa Senhora e pela intercessão de Santo Inácio de Loyola, concedei-nos a graça, que humildemente vos pedimos neste momento... (formule a graça). Por Cristo Senhor Nosso. Amém.

4º DIA (25 de julho) - A MAIOR GLÓRIA DE DEUS
Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida", disse Jesus.
Inácio, um dia, descobriu o Caminho e seguiu-o, generosamente. Viu a verdade e abraçou-a sem receio. E sua vida tomou outro rumo, novo sentido.
Buscando sempre e em tudo a "Maior Glória de Deus", Inácio fundou a Companhia de Jesus, uma Ordem religiosa missionária, apostólica, que deseja ser Igreja num serviço de fé e promoção da justiça
† Oração
Senhor amparados em vossa força e proteção queremos assumir nosso compromisso com o Evangelho e os irmãos de caminhada, conscientes de que um mundo mais justo, fraterno e cristão depende um pouco de cada um de nós.
Sob as bênçãos de Nossa Senhora e pela intercessão de Santo Inácio de Loyola, concedei-nos a graça, que humildemente vos pedimos neste momento... (formule a graça). Por Cristo Senhor Nosso. Amém.

5º DIA (26 de julho) - O QUE FAREI POR CRISTO?
Na vida dos santos, Inácio encontrou o impulso para sua conversão interior e para seguir Jesus Cristo bem de perto. A partir de então, nasceu a pergunta fundamental que orientava seus passos, pensamentos e ações: Que fiz, que faço e o que farei por Cristo?
Difundir o evangelho, fazer Jesus mais conhecido e amado, servir aos irmãos sem descanso e sem buscar recompensas humanas: estes foram os grandes ideais que nortearam a vida de Inácio de Loyola, um homem de Deus, mas sempre pisando firme no chão da realidade.
† Oração
Senhor amparados em vossa força e proteção queremos assumir nosso compromisso com o Evangelho e os irmãos de caminhada, conscientes de que um mundo mais justo, fraterno e cristão depende um pouco de cada um de nós.
Sob as bênçãos de Nossa Senhora e pela intercessão de Santo Inácio de Loyola, concedei-nos a graça, que humildemente vos pedimos neste momento... (formule a graça). Por Cristo Senhor Nosso. Amém.

6º DIA (27 de julho) - UM NOVO PENTECOSTES
Maria Santíssima, padroeira do Brasil e da América Latina, ajudai-nos equilibrar orações e trabalho, fé e vida em nossos caminhos de evangelização. Seguindo os sábios ensinamentos de Inácio, queremos "rezar, como se tudo dependesse de Deus. E agir, como se tudo dependesse de nós.
† Oração
Senhor amparados em vossa força e proteção queremos assumir nosso compromisso com o Evangelho e os irmãos de caminhada, conscientes de que um mundo mais justo, fraterno e cristão depende um pouco de cada um de nós.
Sob as bênçãos de Nossa Senhora e pela intercessão de Santo Inácio de Loyola, concedei-nos a graça, que humildemente vos pedimos neste momento... (formule a graça). Por Cristo Senhor Nosso. Amém.

7º DIA (28 de julho) - O EVANGELHO DO AMOR
Falando aos jesuítas em Roma, o papa João Paulo II lembrou recentemente: Sobre os escombros, que o ódio e a violência plantam, devemos construir a civilização do coração de Jesus.
Toda a espiritualidade inaciana, admiravelmente resumida nos Exercícios Espirituais, fundamenta-se no íntimo conhecimento de Jesus Cristo, seu amor e sua imitação. Quem descobre Jesus, profundamente, torna-se apóstolo e missionário, ao natural. A frase é de Inácio: "Ninguém sabe o que Deus faria de nós, se não opuséssemos tantos obstáculos à sua graça".
† Oração
Senhor amparados em vossa força e proteção queremos assumir nosso compromisso com o Evangelho e os irmãos de caminhada, conscientes de que um mundo mais justo, fraterno e cristão depende um pouco de cada um de nós.
Sob as bênçãos de Nossa Senhora e pela intercessão de Santo Inácio de Loyola, concedei-nos a graça, que humildemente vos pedimos neste momento... (formule a graça). Por Cristo Senhor Nosso. Amém.

8º DIA (29 de julho) - OPÇÃO PELOS POBRES
Catequistas de crianças, de jovens e do povo simples, protetor dos humildes e desamparados, Inácio fez sua "opção pelos pobres", porque sabia encontrar em cada ser humano o rosto de Jesus Cristo.
Apostando toda sua vida no serviço desinteressado aos irmãos, Inácio revitalizou a mensagem de Isaías; "O Senhor mandou-me anunciar a boa nova aos pobres, curar os corações feridos, devolver a liberdade aos oprimidos, consolar todos os aflitos" (Isaías 61,1-2).
† Oração
Senhor amparados em vossa força e proteção queremos assumir nosso compromisso com o Evangelho e os irmãos de caminhada, conscientes de que um mundo mais justo, fraterno e cristão depende um pouco de cada um de nós. Sob as bênçãos de Nossa Senhora e pela intercessão de Santo Inácio de Loyola, concedei-nos a graça, que humildemente vos pedimos neste momento... (formule a graça). Por Cristo Senhor Nosso. Amém.

9º DIA (30 de julho) - A VONTADE DO PAI
Estas foram as duas grandes preocupações de Jesus, em sua vida oculta e pública: buscar a vontade do Pai e cumprir sua Missão redentora.
Fazendo o relatório de sua existência, Inácio rezava:
Tomai, senhor, e recebei toda a minha liberdade, minha memória, minha inteligência e toda a minha vontade, tudo o que tenho e possuo. Vós m'o destes; a vós, Senhor, o restituo. Tudo é vosso; Disponde de tudo inteiramente, segundo vossa vontade. Dai-me o vosso amor e graça, que esta me basta.
† Oração
Senhor amparados em vossa força e proteção queremos assumir nosso compromisso com o Evangelho e os irmãos de caminhada, conscientes de que um mundo mais justo, fraterno e cristão depende um pouco de cada um de nós.
Sob as bênçãos de Nossa Senhora e pela intercessão de Santo Inácio de Loyola, concedei-nos a graça, que humildemente vos pedimos neste momento... (formule a graça). Por Cristo Senhor Nosso. Amém.

21 julho 2020

O desprezo (Padre João Baptista Réus)

O Padre João Baptista Réus, em seu diário, nos adverte:

"Gente capaz de renunciar aos prazeres e de castigar o corpo com jejuns, vigílias e outras asperezas, gente que procura a soledade e passa horas inteiras em oração, gente que suporta com paciência sofrimentos e dores corporais, muitas vezes não é capaz de suportar calado um único desprezo, uma única calúnia ou talvez nem uma única palavra de desrespeito. 
A virtude é fraca demais e neste rochedo naufraga toda a santidade."


06 julho 2020

Novena a Nossa Senhora do Carmo

Inicia no dia 07 de julho, oportunidade de receber grandes graças, 
por intercessão de Nossa Senhora do Carmo.

† Oração Inicial -  Antífona para todos os dias:

Flor do Carmelo vinha florida, esplendor do céu,
Oh! Mãe, Virgem singular,
Doce Mãe sempre Virgem
Aos Carmelitas dai privilégio, Estrela do Mar



† Oração do dia


† Oração Final para todos os dias

Bendita e Imaculada Virgem Maria, beleza e glória do Carmelo, Vós que tratais com bondade inteiramente especial aqueles que se vestem do vosso amadíssimo Hábito, volvei sobre mim também um olhar propício e cobri-me com o manto da vossa maternal proteção.

Pelo vosso poder fortificai a minha fraqueza; pela vossa sabedoria esclarecei as trevas do meu espírito, aumentai em mim a fé, a esperança e a caridade.

Ornai a minha alma com as virtudes que me faça agradável ao vosso Divino Filho e a Vós.

Assisti-me durante a vida, consolai-me na morte pela vossa amável presença à Santíssima Trindade, como vosso Filho dedicado para Vos louvar e bendizer eternamente no paraíso. Amém.

†  †  

† Oração para cada dia:


Primeiro Dia (07.07)

Ó Maria, Virgem Mãe Imaculada, Rainha do Carmelo, que fostes contemplada pelo Profeta Elias na nuvenzinha que subia do mar, depois transformada em chuva copiosa, derramai sobre toda a humanidade as graças de vosso Coração Imaculado e convertei aos pobres pecadores. Ave-Maria...

Nossa Senhora do Carmo, rogai por nós.


Segundo Dia (08.07)

Rainha e Mãe do Carmelo, Virgem Mãe Imaculada, que durante séculos fostes honrada em vossa Maternidade Divina no Monte Carmelo pelo Profeta Elias e seus sucessores - os Filhos dos Profetas - fazei reinar em nossas famílias essa mesma entranhada devoção que torne cada vez mais presente em nossos lares, o vosso Divino Filho Jesus, que nos guarde, para a vida eterna. Ave-Maria...

Nossa Senhora do Carmo, rogai por nós.


Terceiro Dia (09.07)

Oh! Maria Imaculada, Virgem Santíssima do Carmo, que visitastes vossos Filhos Carmelitas no Monte Carmelo, consolando-os, dando-lhes graças abundantes, visitai também as nossas almas, ajudando-nos a fugir do pecado e a praticar com amor as obras de misericórdia. Ave-Maria...

Nossa Senhora do Carmo, rogai por nós.












Quarto Dia (10.07)

Maria, Virgem Imaculada, Rainha do Carmelo, lembrai-vos que vossos Filhos Carmelitas do Monte Carmelo, após o Pentecostes, abraçaram o Evangelho e o anunciaram por toda parte, ensinando também todos a Vos conhecer e amar; e no Monte Carmelo Vos consagraram o primeiro templo do mundo em vossa honra. Dai-nos muitos missionários, que por toda parte vos façam conhecer, para a dilatação do Reino de Jesus. Ave-Maria...

Nossa Senhora do Carmo, rogai por nós.


Quinto Dia (11.07)

Maria, Rainha e Mãe dos Carmelitas, que lhes destes como penhor da salvação o Santo Escapulário, nós vos agradecemos e Vos suplicamos a graça de viver na fidelidade à Lei de Deus para que em nossa morte possamos contar com a vossa presença e ir ao céu contemplar-Vos eternamente. Ave-Maria...

Nossa Senhora do Carmo, rogai por nós.


Sexto Dia (12.07)

Maria, Virgem Mãe Imaculada, Rainha do Carmelo, que tendes concedido as mais extraordinárias graças através de vosso Santo Escapulário, ajudai-me a trazê-lo dignamente, conservando a pureza de coração e de costumes, repelindo tudo o que possa magoar o vosso olhar puríssimo. Ave-Maria...

Nossa Senhora do Carmo, rogai por nós.



Sétimo Dia (13.07)

Rainha e Mãe do Carmelo, que fizestes grandes milagres através do Santo Escapulário, cobri o mundo com o esplendor de Vosso Imaculado Coração para que seja enfraquecido o reino do mal e do pecado, e todos os povos se aproximem de Vós para imitar vossa pureza e caridade. Ave-Maria...

Nossa Senhora do Carmo, rogai por nós.








Oitavo Dia (14.07)

Maria, Virgem - Mãe Imaculada Rainha do Carmelo, que sempre concedestes as maiores graças aos Carmelitas, enviai-nos muitas vocações sacerdotais, religiosas e para o Carmelo Secular, para que o vosso Nome seja sempre mais glorificado, para a glória de vosso Filho Jesus Cristo. Ave-Maria...

Nossa Senhora do Carmo, rogai por nós.








Nono Dia (15.07)

Maria, Rainha e Mãe do Carmelo, que velais pela Santa Igreja com maternal amor, abençoai o Santo Padre, o nosso Bispo, os sacerdotes, os religiosos e todo o povo cristão. Abençoai a cada um de nós que desejamos vossa proteção agora e na hora de nossa morte. Ave-Maria...

Nossa Senhora do Carmo, rogai por nós.


Fonte: https://www.fatima.org.br/novena-de-nossa-senhora-do-carmo

01 junho 2020

Sagrado Coração na Santíssima Eucaristia.


“Aprendamos a honrar o Sagrado Coração na Eucaristia. Jamais Os separemos." 
(São Pedro Julião Eymard, séc. XIX).


Assim como maio nos leva a junho, o mês de Maria nos leva ao mês de Jesus; de Seu Coração. Essa devoção é muito antiga, mas podemos buscá-la a partir de Santa Gertrudes (c. 1302), que teve uma visão na festa de São João Evangelista. Ela estava repousando a cabeça perto da chaga no lado do Salvador e ouvindo as batidas do Coração Divino. Ela perguntou a São João, já que na noite da Última Ceia ele havia sentido essas deliciosas pulsações, por que nunca havia escrito sobre o fato. São João respondeu que essa revelação havia sido reservada para as eras subsequentes, quando o mundo, depois de esfriado, precisaria dela para reavivar seu amor.



A devoção foi grandemente difundida pelas visões de Santa Margarida Maria Alacoque (c. 1673), freira visitandina francesa. Ela teve uma visão do Coração de Cristo na festa de São João, semelhante à de Santa Gertrudes. Jesus permitiu que ela repousasse a cabeça em Seu Coração, e depois revelou a ela as maravilhas de Seu Amor, dizendo-lhe que desejava torná-lO conhecido aos homens e difundir os tesouros de Sua bondade, e que a havia escolhido para essa obra.



Em junho de 1674 a irmã Margarida Maria disse que Jesus pedira para ser honrado sob a figura de Seu Coração de carne e pediu uma devoção de amor expiatório - comunhão frequente, comunhão na primeira sexta-feira de cada mês e a observância de Horas Santas.

Em outra visão, na festa de Corpus Christi de 1675, a Irmã Margarida Maria relatou que Jesus lhe disse: “Eis o Coração que tanto amou os homens... em vez de gratidão, recebe da maior parte [da humanidade] apenas ingratidão...”

Jesus então pediu uma festa de reparação na sexta-feira após a oitava de Corpus Christi. ordenando que ela consultasse o pároco de La Colombiére, então superior da pequena casa jesuíta de Paray. Ele reconheceu a ação do Espírito de Deus e se consagrou ao Sagrado Coração e instruiu à Irmã Margarida Maria a escrever seu relato e a distribuí-lo por toda a França e Inglaterra.


Conheça as 12 promessas do Sagrado Coração de Jesus a Santa Margarida Maria Alacoque:

1°: “A minha bênção permanecerá sobre as casas em que se achar exposta e venerada a imagem de Meu Sagrado Coração”;

2°: “Eu darei aos devotos de Meu Coração todas as graças necessárias a seu estado”;

3°: “Estabelecerei e conservarei a paz em suas famílias”;

4°: “Eu os consolarei em todas as suas aflições”;

5°: “Serei refúgio seguro na vida e principalmente na hora da morte”;

6°: “Lançarei bênçãos abundantes sobre os seus trabalhos e empreendimentos”;

7°: “Os pecadores encontrarão, em meu Coração, fonte inesgotável de misericórdias”;

8°: “As almas tíbias tornar-se-ão fervorosas pela prática dessa devoção”;

9°: “As almas fervorosas subirão, em pouco tempo, a uma alta perfeição”;

10°: “Darei aos sacerdotes que praticarem especialmente essa devoção o poder de tocar os corações mais endurecidos”;

11°: “As pessoas que propagarem esta devoção terão o seu nome inscrito para sempre no Meu Coração”;

12°: “A todos os que comunguem, nas primeiras sextas-feiras de nove meses consecutivos, darei a graça da perseverança final e da salvação eterna”.


Sagrado Coração de Jesus, nós temos confiança em Vós!

24 maio 2020

3 Classes de Coisas que Devemos Prever (São João Crisóstomo)


MEDITAÇÃO SOBRE AS TRÊS CLASSES DE COISAS QUE DEVEMOS PREVER

I. A prudência, que é como o olho de nossa alma, deve nos fazer prever três coisas. As adversidades, em primeiro lugar, porque elas nos atingem menos quando são previstas. É necessário que nos preparemos para receber das mãos de Deus tudo o que possa nos acontecer no estado em que nos alistamos. Se a adversidade que esperamos nos acontece, estaremos dispostos a recebê-la sem constrangimento, sem emoção e com mérito; Se a desgraça nos perdoa, Deus levará nossa boa vontade em consideração.


II. Muitas vezes caímos em pecado, porque não prevemos ocasiões em que seremos expostos a ofender a Deus. No início do dia e de suas principais ações, pense nos perigos em que corre o risco de te perderes, e fique atento a esses perigos, através do pensamento da presença de Deus e do relato que tu darás ao teu Juiz sobre a ação em questão.


III. Em resumo, preveja o bem que podes fazer em cada uma de tuas ações, assim como o comerciante prevê todas as ocasiões de enriquecimento. Terias alcançado um alto grau de perfeição se soubesses aproveitar todas as ocasiões para te santificar. Quantas vezes por dia poderias desistir de tua própria vontade, privar-se de algum prazer, exercer a caridade para com teu próximo, elevar teu coração a Deus, oferecer tuas ações! Aqui está onde deves exercer tua prudência, em vez de considerar como pode acumular bens que abandonarás até a morte. Nós descuidamos de nós mesmos e colocamos todos os nossos esforços naquilo que não pode nos seguir na vida após a morte.

(São João Crisóstomo)



18 maio 2020

Humildade de São Pio X.



Em 1888, num dos altares da Basílica de St. Pedro, um padre pronto para rezar para a Santa Missa, olhou inquieto à sua volta porque o seu coroinha não apareceu. Um bispo, que se ajoelhava perto, aproximou-se dele e disse muito simplesmente:

Permita-me, pai, que eu seja o assistente da sua missa.
- Não, Excelência, não vou permitir. Não é conveniente um bispo agir como coroinha.
- Por que não? Asseguro-te que consigo fazê-lo.
- Não duvido disso, Excelência. Mas seria muita humilhação. Não, eu não vou permitir.
- Silêncio. Rápido para o altar; começa: " Introibo ad altare Dei..."

Dito isto, o Bispo ajoelhou-se e o padre teve que render. Assistido por seu novo assistente, o padre celebrou a missa com grande emoção. No final ele desfez graças ao Bispo. Aquele assistente piedoso, vinte anos mais velho que o padre, era o bispo Giuseppe Sarto, futuro Papa Pio X, um dos maiores pontífices e santos da Igreja Católica.

São Pio X, rogai por nós.

Fonte: https://www.facebook.com/GloryofthePreachers/photos/a.1906545656265067/2523184084601218/?type=3&theater

10 maio 2020

Conselhos de São Jerônimo para escolha das amizades.


Conselhos de São Jerônimo para escolha das amizades.


“Evita as relações com senhoras casadas e mundanas; não suceda ocupar-se o teu espírito em ouvir assuntos de que o marido e a mulher trataram entre si. Conversas deste gênero te serão perniciosas. Para condená-las, serviu-se o Apóstolo de um verso profano, (113) em sentido religioso: "As más conversações corrompem os bons costumes". (114) A tradução literal em latim não conserva o metro jâmbico do verso grego. 
  
Escolhe por companheiras senhoras sérias, mormente viúvas e virgens, cuja vida seja de boa fama, o falar moderado e tendo por ornato santa modéstia. Foge das jovens lascivas, que enfeitam a cabeça, deixam cair os cabelos sobre afronte, cuidam da cútis, usam perfumes, mangas estreitas, vestes sem pregas, sandálias bordadas, para que, a título de virgens, mais caro se vendam. 

Não raro pelo procedimento das servas e fâmulas, julgam-se os costumes e inclinações de suas senhoras. Entre tuas companheiras, mereça ser tida por formosa e amável aquela que ignora a própria beleza, que despreza seus atrativos naturais e ao sair em público não descobre o pescoço e o peito, nem retira o manto para mostrar a cabeça, mas encobre o rosto e só mostra os olhos quando necessário, para caminhar.

Notas:
113. Esta expressão encontra-se em Eurípedes e Menandro. 
114. 1Cor 15,33.

São Jerônimo com grande sabedoria nos propõe um direcionamento, para nos ajudar a escolher as nossas amizades, um católico não pode ser amigo do erro e do pecado, o católico deve selecionar suas amizades para que estas o ajudem no seu caminho de santificação proposto por Deus: “Esta é a vontade de Deus: a vossa santificação” (1Tess 4,3).
Lembre-se: pessoas que devo conviver, não necessariamente podem ser boas amizades. Ame a todos, analise suas amizades atuais! Estas amizades te levam até Deus? Antes perder uma amizade, do que perder Cristo!
Salve Maria.

Fonte: (AGOSTINHO, Santo, Bispo de Hipona. A Virgindade Consagrada. São Paulo: Edições Paulinas, 1990. 195p.)
http://alexandriacatolica.blogspot.com/2012/10/dos-bens-do-matrimonio-santo-agostinho.html
Título original: 18. Escolha das relações (Das Cartas de São Jerônimo a Demétria)


08 maio 2020

Aparição de São Miguel em Gargano.


O Santuário de São Miguel Arcanjo de Gargano

No sudeste da Itália há um santuário dedicado a São Miguel Arcanjo, no alto de um monte chamado Gargano. É o santuário mais antigo dedicado a São Miguel na Europa Ocidental e não fica longe de onde Padre Pio viveu, morreu e agora está enterrado em seu agora famoso mosteiro em San Giovanni Rotondo. Padre Pio era profundamente devoto a este santuário, e muitas vezes direcionava os penitentes a escalar a montanha para pedir a intercessão do Arcanjo em sua batalha contra o pecado.
São Francisco de Assis, ao chegar lá, foi tão impactado pela santidade do lugar que se sentiu indigno de entrar e só se ajoelhou em oração e beijou o chão de pedra da entrada.


A História das aparições de São Miguel Arcanjo de Gargano

No ano 492, um touro se desviou do rebanho de um rico proprietário de terras da cidade vizinha de Siponto, que ficava aos pés do Monte Gargano. O touro chegou a uma caverna perto do cume da montanha. 
O pastor, na esperança de assustar o touro para fora da caverna, disparou uma flecha em direção ao seu fundo escuro.  Surpreendentemente, a flecha voltou, ferindo o homem que a disparou. Diante de uma ocorrência tão estranha e milagrosa, o homem e seus companheiros que testemunharam o evento procuraram o bispo. Ele recomendou três dias de oração e jejum para discernir o significado por trás do fenômeno.

No terceiro dia, essas práticas piedosas foram respondidas quando São Miguel apareceu ao bispo e disse:
"Fizeste bem em perguntar a Deus o que estava oculto aos homens. Um milagre fez atingir o homem com sua própria flecha, de modo que fique claro que isso aconteceu por minha vontade.
Eu sou o Arcanjo Miguel e estou sempre na presença de Deus. A caverna é sagrada para mim. E desde que decidi proteger este lugar e seus habitantes na Terra, quis atestar desta maneira que sou deste lugar e de tudo que acontece aqui patrono e guardião.
Onde a pedra é aberta, os pecados dos homens podem ser perdoados. O que for pedido aqui em oração será concedido. Vá, portanto, para a montanha e dedique a caverna ao culto cristão."


Enquanto o bispo protelava, Siponto foi sitiada por um exército pagão invasor de Nápoles e estava à beira da rendição. O bispo conseguiu obter um cessar-fogo de três dias e usou esses três dias para orar e jejuar. Mais uma vez, São Miguel apareceu ao bispo e prometeu vitória completa sobre os invasores.  Conta-se que durante a batalha que se seguiu houve terremotos e raios, que ajudaram a derrotar os inimigos de Siponto enquanto demonstravam o poder da intercessão do Arcanjo.

Após essa segunda aparição e milagre em batalha, o bispo sentiu total remorso por duvidar da prudência do pedido de São Miguel. Era agora o ano de 493 e ele organizou uma grande procissão para a montanha, para que finalmente pudesse consagrar a gruta com uma igreja. Com outros bispos, padres e as pessoas da cidade, foi relatado que as águias apareceram sobre os bispos na procissão para protegê-los dos raios do sol com as asas estendidas. 


Quando eles finalmente chegaram à foz da gruta, o Arcanjo apareceu novamente, afirmando:
“Não é sua tarefa consagrar a Basílica que construí. Eu a fundei, eu mesmo a consagrei. Mas entrai neste lugar, já colocado sob minha proteção.”

Quando todos entraram, ficaram surpresos ao ver um altar já erigido com uma cruz sobre ele.  Eles também encontraram uma pegada de São Miguel embutida no chão de pedra. Foi oferecida ali a primeira missa na Gruta de São Miguel.



Desde aquela época, a gruta tem sido chamada de "Basílica Celestial", pois é a única igreja que nunca foi consagrada pelas mãos de um bispo. Tem a honra de ser pessoalmente consagrada por São Miguel Arcanjo, a quem é dedicada.
A quarta e última aparição de São Miguel em Gargano ocorreu séculos depois, em 1656. Uma terrível peste tomou conta do sul da Itália e a cidade na encosta do Monte Gargano, agora chamada Monte Sant'Angelo, estava em apuros. O bispo da cidade recebeu o nome de Alfonso Puccinelli e seguiu sabiamente o exemplo de seus antecessores, séculos atrás, e procurou São Miguel em busca de ajuda através da oração e do jejum.  Tão desesperada era a situação que o bispo chegou a considerar colocar um papel nas mãos da estátua de São Miguel dentro da Gruta das Aparições, com o nome de cada pessoa da cidade inscrita.
Antes disso, enquanto o bispo orava em um dos quartos de sua residência episcopal, sentiu a terra tremer antes de São Miguel aparecer de repente.  O Arcanjo deu a ele a diretiva para abençoar as pedras de sua caverna em Gargano e depois gravar sobre elas as letras "MA" de Miguel Arcanjo.
A visão foi concluída com a promessa:
"Quem guardar essas pedras com devoção estará imune à praga".
A promessa do Arcanjo foi cumprida e, desde então, o Santuário de São Miguel, no Monte Gargano, distribui pedras da Gruta das Aparições por toda parte. Estas são relíquias/sacramentais populares que são usados pelos fiéis para invocar a intercessão desse poderoso intercessor para protegê-los das armadilhas espirituais do diabo, bem como de danos físicos.


Sua festa litúrgica era celebrada no dia 08 de maio.
Na cidade de Monte Sant'Angelo ainda hoje existe um monumento que o bispo havia erguido para comemorar a proteção de São Miguel durante a praga.  Diz:
« Ao Príncipe dos Anjos
Vencedor da peste
Patrono e Guardião
colocamos este monumento
em eterna gratidão
Alfonso Puccinelli 1656 »

Sancte Michael, ora pro nobis!

Para mais fotos, click.

30 abril 2020

Papa Francisco e o milagre de São Januário!


O sangue de São Januário sempre fica em estado de coagulação (sólido) e é conservado em uma ampola de vidro (desde o século IV) em Nápoles (Itália).


O milagre da liquefação do sangue de São Januário, só se repete nas festas do santo (em dias determinados); contudo, São Januário “abre uma exceção”, quando recebe a visita de um papa (independente do dia) em qualquer dia da semana, pode ocorrer o milagre. Foi o caso do Papa Pio IX, em 1848, na qual foi a ultima vez que o sangue de São Januário se liquefez, diante de um Papa. O mesmo fato se repetiu em 21 de março de 2015, com o Sangue de São Januário, que se liquefaz nas mãos do Papa Francisco.





25 abril 2020

Desembargador Católico, forte candidato a substituir Sérgio Moro como Ministro da Justiça.

Quem é o desembargador Dr. Ricardo Dip?

Imagem relacionada

Além de ter sido juiz da Alçada Criminal de São Paulo e ser autor de muitos livros, é o presidente da União Internacional de Juristas Católicos.

Precisa de mais motivos? Dr. Dip para Ministro da Justiça!

Apoie, use o  #ministroDip  nas  redes sociais!

Conheça mais sobre o Dr. Ricardo Dip:





Em defesa da vida {Dr. Ricardo Dip (29/08/09)}:


Curriculo:
https://blog.cancaonova.com/escoladafe/tag/ricardo-dip/
https://irib.org.br/pessoas/ricardo-dip
Apoie, use o  #ministroDip  nas  redes sociais! #ministroDip


19 abril 2020

Do Santo Sacrifício da Missa (663-669)



CAPÍTULO V 
Do Santo Sacrifício da Missa    


§ 2º - Do modo de assistir à Missa  


663) Quantas coisas são necessárias para ouvir bem e com fruto a Santa Missa?
Para ouvir bem e com fruto a Santa Missa são necessárias duas coisas:
1º modéstia exterior,
2º devoção interior.



664) Em que consiste a modéstia exterior?
A modéstia exterior consiste particularmente em estar modestamente vestido, em observar o silêncio e o recolhimento, e em estar, quanto possível, de joelhos, excetuando o tempo dos dois evangelhos, que se ouvem estando de pé.



665) Ao ouvir a Santa Missa qual é o melhor modo de praticar a devoção interior?
O melhor modo de praticar a devoção interior ao ouvir a Santa Missa é o seguinte:
1º Unir-se, desde o começo, a própria intenção à do sacerdote, oferecendo a Deus o Santo Sacrifício para os fins por que foi instituído;
2º Acompanhar o sacerdote em cada uma das orações e ações do Sacrifício;
3º Meditar a Paixão e morte de Jesus Cristo e detestar, de todo o coração, os pecados que Lhe deram causa;
4º Fazer a comunhão sacramental, ou ao menos a espiritual, ao tempo em que o sacerdote comunga.



666) Que é a Comunhão espiritual?
A Comunhão espiritual é um grande desejo de se unir sacramentalmente a Jesus Cristo, dizendo por exemplo: “Meu Senhor Jesus Cristo, eu desejo de todo o meu coração unir-me a Vós agora e por toda a eternidade”; e fazendo os mesmos atos que se fazem antes e depois da Comunhão sacramental.

667) Impede ouvir a Missa com fruto a recitação do Rosário ou de outras orações durante o Santo Sacrifício?
A recitação destas orações não impede ouvir com fruto a Missa, desde que haja um esforço possível de seguir as cerimônias do Santo Sacrifício.



668) É coisa boa também rezar pelos outros, quando se assiste à Santa Missa?
É coisa boa rezar também pelos outros quando se assiste à Santa Missa; e até o tempo da Santa Missa é o mais oportuno para rezar pelos vivos e pelos mortos.

669) Terminada a Missa, que se deve fazer?
Terminada a Missa, devemos dar graças a Deus por nos ter concedido a graça de assistir a este grande sacrifício e pedir-Lhe perdão das faltas cometidas enquanto a assistíamos.


Fonte: Catecismo Maior de São Pio X, Editora Permanência.

18 abril 2020

Festa da Divina Misericórdia



O Diário de Irmã Faustina contém pelo menos quinze ocasiões nas quais se refere ao pedido do Senhor para que fosse estabelecida em toda a Igreja, oficialmente, a "Festa da Misericórdia". Ele disse:

"Desejo que a Festa de Misericórdia seja refúgio e abrigo para todas as almas, especialmente para os pecadores. Nesse dia estão abertas as entranhas da minha Misericórdia. Derramo todo o mar de graças nas almas que se aproximarem da fonte da minha Misericórdia. A alma que se confessar e comungar alcançará o perdão das culpas e castigos. (indulgência plenária) Nesse dia estão abertas todas as comportas divinas, pelas quais fluem as graças.

Que nenhuma alma tenha medo de se aproximar de Mim, ainda que seus pecados sejam como escarlate... A Festa da Misericórdia saiu das minhas entranhas... Desejo que seja celebrada solenemente no primeiro domingo depois da Páscoa. A humanidade não terá paz enquanto não se voltar à fonte da minha Misericórdia." (Diário nº.699)

Jesus também pediu que a Festa da Divina Misericórdia fosse precedida por uma Novena à Divina Misericórdia, a ser iniciada na Sexta-Feira Santa. Ele deu a Irmã Faustina uma intenção pela qual rezar a cada dia da Novena. Em seu diário, Irmã Faustina relata que Jesus lhe disse:
"Em cada dia da novena, conduzirás ao Meu coração um grupo diferente de almas, e as mergulharás no oceano da minha Misericórdia. Eu conduzirei todas as almas à casa do meu Pai... Por minha parte, nada negarei a nenhuma daquelas almas que tu conduzirás à fonte da minha Misericórdia. Cada dia pedirás a meu Pai, pela minha amarga Paixão, graças para essas almas." (Diário nº.1209)



INDULGÊNCIA PLENÁRIA
NA FESTA DA MISERICÓRDIA.


DECRETO DO VATICANO.

Anexadas indulgências aos atos de culto, realizados em honra da Misericórdia Divina.

"A tua misericórdia, ó Deus, não conhece limites e é infinito o tesouro da tua bondade... (Oração depois do Hino "Te Deum") e "Ó Deus, que revelas a tua onipotência sobretudo com a misericórdia e com o perdão..." (Oração do Domingo XXVI do Tempo Comum), canta humilde e fielmente a Santa Mãe Igreja. De fato, a imensa condescendência de Deus, tanto em relação ao gênero humano no seu conjunto como ao de cada homem individualmente, resplandece de maneira especial quando pelo próprio Deus onipotente são perdoados pecados e defeitos morais e os culpados são paternalmente readmitidos na sua amizade, que merecidamente perderam.

Os fiéis com profundo afeto da alma são por isto atraídos para comemorar os mistérios do perdão divino e para os celebrar plenamente, e compreendem de maneira clara a máxima conveniência, aliás o dever de que o Povo de Deus louve com fórmulas particulares de oração a Misericórdia Divina e, ao mesmo tempo, cumpra com sentimentos de gratidão as obras pedidas e tendo cumprido as devidas condições, obtenha vantagens espirituais derivadas do Tesouro da Igreja. "O mistério pascal é o ponto culminante desta revelação e atuação da misericórdia, que é capaz de justificar o homem, e de restabelecer a justiça como realização daquele desígnio salvífico que Deus, desde o princípio, tinha querido realizar no homem e, por meio do homem, no mundo" (Carta enc. Dives in misericordia, 7).

Na realidade, a Misericórdia Divina sabe perdoar até os pecados mais graves, mas, ao fazê-lo, estimula os fiéis a conceber uma dor sobrenatural, não meramente psicológica, dos próprios pecados, de forma que, sempre com a ajuda da graça divina, formulem um firme propósito de não voltar a pecar. Tais disposições da alma obtêm efetivamente o perdão dos pecados mortais quando o fiel recebe frutuosamente o sacramento da Penitência ou se arrepende dos mesmos mediante um ato de caridade e de sofrimento perfeitos, com o propósito de retomarem o mais depressa possível a prática do próprio sacramento da Penitência: de fato, Nosso Senhor Jesus Cristo na parábola do filho pródigo ensina-nos que o pecador deve confessar a sua miséria a Deus dizendo: "Pai, pequei contra o Céu e contra ti; já não sou digno de ser chamado teu filho" (Lc 15, 18-19), admoestando que isto é obra de Deus: "estava morto e reviveu; estava perdido e encontrou-se" (Ibid., 15, 32).

Por isso, com providencial sensibilidade pastoral, o Sumo Pontífice João Paulo II, a fim de infundir profundamente na alma dos fiéis estes preceitos e ensinamentos da fé cristã, movido pela suave consideração do Pai das Misericórdias, quis que o segundo Domingo de Páscoa fosse dedicado a recordar com especial devoção estes dons da graça, atribuindo a esse Domingo a denominação de "Domingo da Misericórdia Divina" (Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, Decreto Misericors et miserator, 5 de Maio de 2000).
O Evangelho do segundo Domingo de Páscoa descreve as maravilhas realizadas por Cristo Senhor no próprio dia da Ressurreição na primeira aparição pública: "Na tarde desse dia, o primeiro da semana, estando fechadas as portas da casa onde os discípulos se achavam juntos, com medo dos judeus, veio Jesus pôr-Se no meio deles e disse-lhes: "A paz seja convosco". Dizendo isto, mostrou-lhes as mãos e o lado. Alegraram-se os discípulos, vendo o Senhor. E Ele disse-lhes de novo: "A paz seja convosco. Assim como o Pai Me enviou, também Eu vos envio a vós". Dito isto, soprou sobre eles e disse-lhes: "Recebei o Espírito Santo. Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados; aqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos" (Jo 20, 19-23).

Para fazer com que os fiéis vivam com piedade intensa esta celebração, o mesmo Sumo Pontífice estabeleceu que o citado Domingo seja enriquecido com a Indulgência Plenária, como será indicado a seguir, para que os fiéis possam receber mais amplamente o dom do conforto do Espírito Santo e desta forma alimentar uma caridade crescente para com Deus e o próximo e, obtendo eles mesmos o perdão de Deus, sejam por sua vez induzidos a perdoar imediatamente aos irmãos.

Desta forma, os fiéis observaram mais perfeitamente o espírito do Evangelho, acolhendo em si a renovação ilustrada e introduzida pelo Concílio Ecumênico Vaticano II: "Lembrados das palavras do Senhor: Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros (Jo 13, 35), os cristãos não podem formular desejo mais vivo do que servir os homens do seu tempo com uma generosidade cada vez maior e mais eficaz... A vontade do Pai é que reconheçamos e amemos efetivamente Cristo nosso Irmão, em todos os homens, com a palavra e as obras" (Const. past. Gaudium et spes, 93).

Por conseguinte, o Sumo Pontífice animado pelo fervoroso desejo de favorecer o mais possível no povo cristão estes sentimentos de piedade para com a Misericórdia Divina, devido aos riquíssimos frutos espirituais que disto se podem esperar, na Audiência concedida a 13 de Junho de 2002 aos abaixo assinados Responsáveis da Penitenciaria Apostólica, dignou-se conceder-nos Indulgências nos seguintes termos:

Concede-se a Indulgência plenária nas habituais condições (Confissão sacramental, Comunhão eucarística e orações segundo a intenção do Sumo Pontífice) ao fiel que no segundo Domingo de Páscoa, ou seja, da "Misericórdia Divina", em qualquer igreja ou oratório, com o espírito desapegado completamente da afeição a qualquer pecado, também venial, participe nas práticas de piedade em honra da Divina Misericórdia, ou pelo menos recite, na presença do Santíssimo Sacramento da Eucaristia, publicamente exposto ou guardado no Tabernáculo, o Pai-Nosso e o Credo, juntamente com uma invocação piedosa ao Senhor Jesus Misericordioso (por ex., "Ó Jesus Misericordioso, confio em Ti").

Concede-se a Indulgência parcial ao fiel que, pelo menos com o coração contrito, eleve ao Senhor Jesus Misericordioso uma das invocações piedosas legitimamente aprovadas.

Também aos homens do mar, que realizam o seu dever na grande extensão do mar; aos numerosos irmãos, que os desastres da guerra, as vicissitudes políticas, a inclemência dos lugares e outras causas do gênero, afastaram da pátria; aos enfermos e a quantos os assistem e a todos os que, por uma justa causa, não podem abandonar a casa ou desempenham uma atividade que não pode ser adiada em benefício da comunidade, poderão obter a Indulgência plenária no Domingo da Divina Misericórdia, se com total detestação de qualquer pecado, como foi dito acima, e com a intenção de observar, logo que seja possível, as três habituais condições, recitem, diante de uma piedosa imagem de Nosso Senhor Jesus Misericordioso, o Pai-Nosso e o Credo, acrescentando uma invocação piedosa ao Senhor Jesus Misericordioso (por ex., "Ó Jesus Misericordioso, Confio em Ti").

Se nem sequer isto pode ser feito, naquele mesmo dia poderão obter a Indulgência plenária todos os que se unirem com a intenção de espírito aos que praticam de maneira ordinária a obra prescrita para a Indulgência e oferecem a Deus Misericordioso uma oração e juntamente com os sofrimentos das suas enfermidades e os incômodos da própria vida, tendo também eles o propósito de cumprir logo que seja possível as três condições prescritas para a aquisição da Indulgência plenária.

Os sacerdotes, que desempenham o ministério pastoral, sobretudo os párocos, informem da maneira mais conveniente os seus fiéis desta saudável disposição da Igreja, disponham-se com espírito imediato e generoso a ouvir as suas confissões, e no Domingo da Misericórdia Divina, depois da celebração da Santa Missa ou das Vésperas, ou durante uma prática piedosa em honra da Misericórdia Divina, guiem, com a dignidade própria do rito, a recitação das orações acima indicadas: por fim, sendo "Bem-aventurados e misericordiosos, porque encontrarão misericórdia" (Mt 5, 7), ao ensinar a catequese estimulem docemente os fiéis a praticar todas as vezes que lhes for possível obras de caridade ou de misericórdia, seguindo o exemplo e o mandato de Jesus Cristo, como é indicado na segunda concessão geral do "Enchiridion Indulgentiarum".

Este Decreto tem vigor perpétuo. Não obstante qualquer disposição contrária.

Roma, Sede da Penitenciaria Apostólica, 29 de Junho de 2002, solenidade dos santos Apóstolos Pedro e Paulo.

D. Luigi de MAGISTRIS Pró-Penitenciário-Mor

Gianfranco GIROTTI, O.F.M. Conv. Regente


Fonte:
Aci Digital
Blog Deus Pai

06 abril 2020

Dos Mandamentos que se referem a Deus - § 1º (350-371)


Terceira Parte
Dos Mandamentos
da Lei de Deus e da Igreja

CAPÍTULO II
Dos Mandamentos que se referem a Deus


§ 1º Do primeiro Mandamento da Lei de Deus

350) Por que disse o Senhor antes de ditar os Mandamentos: “Eu sou o Senhor teu Deus”?
Antes de promulgar os seus Mandamentos, Deus disse: “Eu sou o Senhor teu Deus”, para que saibamos que Deus, sendo o nosso Criador e Senhor, pode mandar o que quiser, e nós, criaturas suas, somos obrigados a obedecer-Lhe.

351) Que nos ordena Deus com as palavras do primeiro Mandamento: Amar a Deus sobre todas as coisas?
Com as palavras do primeiro Mandamento: Amar a Deus sobre todas as coisas, Deus nos ordena que O reconheçamos, adoremos, amemos e sirvamos a Ele só, como a nosso Soberano Senhor.

352) Como se cumpre o primeiro Mandamento?
Cumpre-se o primeiro Mandamento com o exercício do culto interno e externo.

353) Que é o culto interno?
O culto interno é a honra que se presta a Deus só com as faculdades da alma, isto é, com a inteligência e com a vontade.

354) Que é o culto externo?
O culto externo é a homenagem que se presta a Deus por meio de atos exteriores e de objetos sensíveis.

355) Não basta adorar a Deus interiormente, só com o coração?
Não basta adorar a Deus interiormente, só com o coração, mas é necessário adorá-Lo também exteriormente, com a alma e com o corpo juntamente, porque Ele é Criador e Senhor absoluto de um e de outro.



356) Poderá haver culto externo sem o interno?
Não pode de forma alguma haver culto externo sem o interno, porque aquele, desacompanhado deste, fica privado de vida, de merecimento e de eficácia, como corpo sem alma.

357) Que nos proíbe o primeiro Mandamento?
O primeiro Mandamento proíbe-nos a idolatria, a superstição, o sacrilégio, a heresia e todo e qualquer outro pecado contra a religião.

358) Que é a idolatria?
Chama-se idolatria o prestar a alguma criatura, por exemplo a uma estátua, a uma imagem, a um homem, o culto supremo de adoração devido só a Deus.

359) Como está expressa na Sagrada Escritura esta proibição?
Na Sagrada Escritura está expressa esta proibição com as palavras: Não farás para ti imagem de escultura nem figura alguma de tudo o que há em cima, no céu, e do que há em baixo, na terra. E não adorarás tais coisas nem lhes darás culto.

360) Proíbem estas palavras todas as espécies de imagens?
Não, por certo. Mas só as das falsas divindades, feitas com intuito de adoração, como faziam os idólatras. E tanto isto é verdade, que o próprio Deus deu ordem a Moisés para fazer algumas, como as duas estátuas de querubins que estavam sobre a arca, e a serpente de bronze no deserto.

361) Que é a superstição?
Chama-se superstição toda e qualquer devoção contrária à doutrina e ao uso da Igreja, bem como o atribuir a uma ação ou a alguma coisa uma virtude sobrenatural que ela não tem.

362) Que é o sacrilégio?
O sacrilégio é a profanação de um lugar, de uma pessoa ou de uma coisa consagrada a Deus ou destinada ao seu culto.

363) Que é a heresia?
A heresia é um erro culpável de inteligência, pelo qual se nega com pertinácia alguma verdade de fé.

364) Que mais coisas proíbe o primeiro Mandamento?
O primeiro Mandamento proíbe também todo o comércio ou trato com o demônio, e afiliar-se às seitas anticristãs.

365) Quem recorra ao demônio e o invoque comete pecado grave?
Quem recorre ao demônio e o invoca comete um pecado enorme, porque o demônio é o mais perverso inimigo de Deus e do homem.

366) É lícito interrogar as mesas chamadas falantes ou escreventes, ou consultar de algum modo as almas dos mortos, por meio de espiritismo?
Todas as práticas do espiritismo são proibidas, porque são supersticiosas e muitas vezes não estão isentas de intervenção diabólica, razão por que foram justamente interditas pela Igreja.

367) O primeiro Mandamento proíbe acaso honrar e invocar os Anjos e os Santos?
Não. Não é proibido honrar e invocar os Anjos e os Santos, e até o devemos fazer, porque é coisa boa e útil e altamente recomendada pela Igreja, já que eles são amigos de Deus e nossos intercessores juntos d’Ele.

368) Sendo Jesus Cristo o nosso único mediador junto de Deus, por que recorremos também à intercessão da Santíssima Virgem e dos Santos?
Jesus Cristo é o nosso mediador junto de Deus, enquanto, sendo verdadeiro Deus e verdadeiro Homem, só Ele, em virtude dos próprios merecimentos nos reconciliou com Deus e d’Ele nos obtém todas as graças. Mas a Santíssima Virgem e os Santos, em virtude dos merecimentos de Jesus Cristo, e pela caridade que os une a Deus e a nós, auxiliam-nos com a sua intercessão a alcançar as graças que pedimos. E este é um dos grandes bens da comunhão dos Santos.

369) Podemos honrar também as sagradas imagens de Jesus Cristo e dos Santos?
Sim, porque a honra que se tributa às sagradas imagens de Jesus Cristo e dos Santos se refere às suas mesmas pessoas.

370) E as relíquias dos Santos podem honrar-se?
Sim, também as relíquias dos Santos podem e devem honrar-se, porque os seus corpos foram membros vivos de Jesus Cristo e templos do Espírito Santo, e devem ressurgir gloriosos para a vida eterna.

371) Que diferença há entre o culto que prestamos a Deus e o culto que prestamos aos Santos?
Entre o culto que prestamos a Deus e o culto que prestamos aos Santos há esta diferença:
a Deus adoramo-Lo pela sua infinita excelência, ao passo que aos Santos não os adoramos, mas só os honramos e veneramos como a amigos de Deus e nossos intercessores juntos d’Ele.
O culto que prestamos a Deus chama-se latria, isto é, de adoração,
e o culto que prestamos aos Santos chama-se dulia, isto é, de veneração aos servos de Deus;
enfim, o culto especial que prestamos a Maria Santíssima chama-se hiperdulia, isto é, de essencialíssima veneração, como Mãe de Deus.


Fonte: Catecismo Maior de São Pio X, Editora Permanência.

05 abril 2020

Dos Mandamentos da Lei de Deus em geral (342-349)


Terceira Parte
Dos Mandamentos
da Lei de Deus e da Igreja

CAPÍTULO I
Dos Mandamentos da Lei de Deus em geral 


342) De que trata a terceira parte da Doutrina Cristã?
A terceira parte da Doutrina Cristã trata dos Mandamentos da Lei de Deus e da
Igreja. 

343) Quantos são os Mandamentos da Lei de Deus? 
Os Mandamentos da Lei de Deus são dez:
1º Amar a Deus sobre todas as coisas.
2º Não tomar seu Santo Nome em vão.
3º Guardar domingos e festas.
4º Honrar pai e mãe.
5º Não matar.
6º Não pecar contra a castidade.
7º Não furtar.
8º Não levantar falso testemunho.
9º Não desejar a mulher do próximo.
10º Não cobiçar as coisas alheias.




344) Por que têm esse nome os Mandamentos da Lei de Deus?
Os Mandamentos da Lei de Deus têm esse nome porque foi o próprio Deus que os
gravou na alma de cada o homem e os promulgou no monte Sinai, na antiga Lei, esculpidos em duas tábuas de pedra, e porque Jesus Cristo os confirmou na Lei nova.

345) Quais são os Mandamentos da primeira tábua?
Os Mandamentos da primeira tábua são os três primeiros, que se referem diretamente a Deus, e aos deveres que temos para com Ele.

346) Quais são os Mandamentos da segunda tábua?
Os Mandamentos da segunda tábua são os últimos sete, que se referem ao próximo
e aos deveres que temos para com ele.

347) Somos obrigados a observar os Mandamentos? 
Sim, todos somos obrigados a observar os Mandamentos,
porque todos devemos viver segundo a vontade de Deus que nos criou; e basta transgredir gravemente um só deles para merecermos o Inferno.



348) Podemos observar os Mandamentos?
Podemos, sem dúvida, observar os Mandamentos da Lei de Deus, porque Deus não
nos manda nenhuma coisa impossível, e dá a graça para os observar a quem a pede devidamente.

349) Que se deve considerar em cada Mandamento?
Em cada Mandamento deve-se considerar a parte positiva e a parte negativa; isto
é, o que nos é ordenado e o que nos é proibido.   


Fonte: Catecismo Maior de São Pio X, Editora Permanência.


CONTINUAR LENDO

Veja também:


Aperte o 'Ctrl', e Clic acima.